Saiba o que teve no primeiro dia de carnaval em Vitória da Conquista

Lavagem do Beco abre os trabalhos da quinta edição da folia que propõe o resgate do carnaval cultural na cidade; foliões esperam cinco horas para a saída de bloco

Por Bia Brito

O Carnaval Cultural de Vitória da Conquista teve início neste sábado, 14, com presença de público animado, mas problemas de organização. Pela manhã, a tradicional Lavagem do Beco abriu alas para a folia de quatro dias. O cortejo teve início na Igreja Catedral.

À tarde, foliões conquistenses de variadas idades, estilos e tribos se reuniram na Praça Guadalajara, conhecida como praça da Normal, para a concentração do Bloco “Mamãe Eu Quero”.

foto-dia1

Foliões permaneceram por cerca de cinco horas na concentração esperando a saída do bloco “Mamãe Eu Quero”.

Com a saída do grupo marcada para às 15h30, os foliões tiveram de esperar mais de cinco horas para que o trio tomasse às ruas, o que aconteceu por volta de 22h00.

Apesar dos atrasos, animação não faltou ao público que levou fantasias e alegria para o ponto de encontro. Mãe de cinco filhos, Elaine Lula, levou quatro deles para a folia de rua. Segundo ela, que vem pela segunda vez ao carnaval cultural, a programação é interessante pois permite a participação de toda a família. “Eu fiquei encantada com o resgate desse carnaval antigo. Então, esse ano, já me programei, fiz fantasias e já viemos caracterizados”, contou.

foto_elaine_dia 1

Elaine Lula e três dos quatro filhos que levou para aproveitar a folia.

E se carnaval é também sinônimo de encontro, o sentido se aplica adequadamente ao que aconteceu com as estudantes, Micaele Bonfim e Gabriela Amorim, que se conheceram há três dias e combinaram de passar o carnaval juntas pela primeira vez em Conquista. Para Gabriela, a expectativa é de uma ótima estreia. “Espero que seja muito bom, quero curtir bastante, com muita paz, acima de tudo”.

Também estreante, Micaele relembrou uma festa muito conhecida entre o povo conquistense e comemorou o resgate da folia na cidade. “Tudo isso me fez lembrar da micareta, faz muito tempo que não tínhamos isso e estou gostando”.

Trânsito

Com o objetivo de organizar o trânsito da cidade nos dias de apresentação dos blocos, algumas alterações foram feitas pela prefeitura em trechos próximos da folia.

De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana, desde sábado, 14, das 14 horas a uma da manhã, até a terça de carnaval, 17, o perímetro urbano na região das avenidas Siqueira Campos e Vivaldo Mendes, entre a rotatória da Avenida Rosa Cruz até a Praça Orlando Leite, deve estar sob o monitoramento dos agentes de trânsito.

As vias ficam interditadas de acordo com o desfile dos blocos. Ao todo, 18 agentes atuaram durante a operação. A orientação para os motoristas é utilizar a Avenida Leonídio Oliveira e a Rua Waldemar Sá Porto.

História

O Carnaval Conquista Cultural surgiu quando alguns amigos resolveram criar um bloco de rua, em 2012: o Curtaki. Os rapazes, que diziam não se importar se 40 pessoas aparecessem e seguissem a ideia deles, acabaram se surpreendendo quando o bloco levou, em uma segunda-feira, mais de dois mil foliões às ruas.

Nos anos seguintes, a ideia se expandiu com o surgimento de mais alguns blocos como o Na Farofa e o Omolú Asé. Antes disso, em 2011, o bloco “Fita Amarela” já havia deixado fulgente a vontade dos conquistenses em retomar a festa.

Em 2012, o Carnaval de Conquista afirmou sua consolidação ao reunir em 2 dias de festa, cerca de 12 mil foliões nas ruas. O Carnaval Conquista Cultural é organizado pela ABCVC (Associação do Blocos Carnavalescos de Vitória da Conquista).