Sem Firula: Cê é Bahia ou é Vitória, afro?

Natália Silva opina sobre a rivalidade do futebol baiano

Por Natália Silva

Não, eu não vou falar que o Bahia continua na Série B, nem que o Vitória vai subir, não se preocupe. Nada contra a Série B, não me interprete mal. Mas é que já tem uma galera falando sobre isso e muita gente que, com certeza, avaliará melhor que eu. Mesmo porque, não acompanhei a competição inteira. Sentei para escrever foi sobre algumas observações que fiz na nossa querida “capitá”, nesses quase quinze dias por aqui.

E não há nada mais emblemático para representar Futebol+Salvador do que a frase proferida por Roque, personagem do ator Lázaro Ramos, no filme Ó Pai Ó.  Até porque, se tem uma coisa que o povo de Salvador sabe perguntar é: “Cê é Bahia ou é Vitória?”.

É uma dualidade maior que o claro e o escuro, o céu e o inferno, o preto e o branco, a noite e o dia… Aqui não existe meia luz, purgatório, cinza e muito menos crepúsculo. Ou você está de um lado ou de outro, é oito ou oitenta.

Eu que vivo numa eterna dúvida entre esses dois, apesar de ter uma leve tendência para o tricolor, sempre entro numa enrascada. Se peço um segundo para responder vem a pergunta sequente: “Não vai me dizer que torce para o Flamengo, eu heim!”. Só quem gosta do Flamengo é o flamenguista mesmo, sem chance de ter simpatizantes! Hehehe 😛

Pensando com meus botões elaborei motivos que eu teria para torcer ou não para o tricolor ou para o rubro-negro baiano.

A favor do Vitória tem o fato de que minha mãe torce por ele, não assiduamente, mas pelo menos deseja que ele esta sempre ganhando (risos); o mascote é um leão, isso é legal; me desperta mais confiança do que o Bahia, quando é meu adversário, importante isso.

Contra tem o fato de que é rubro negro, levo muito em consideração a cor para torcer para um time; não tem um hino que me arrepie; me lembra muuuito o Flamengo, não tem jeito de eu gostar e olhe que meu pai é Flamenguista (Foi mal, pai!).

Agora o Bahia. A favor do tricolor de aço tem, em primeiríssimo lugar, o seu hino, só de imaginar me emociono; o fato de carregar o nome de nosso estado, nada mais regional que isso; ter uma torcida enlouquecidamente apaixonada, acho umas das mais impressionantes do país; o mascote é o super-man, eu adoro super-herói e o homem de aço é uma ótima escolha isso não quer dizer que eu despreze o Batman, por favor nerds, não confundam.

Como pontos negativos, lançou um uniforme cinza, simplesmente, ridículo, se fosse o timão eu até toleraria, mas o que tem a ver com o tricolor? Nadinha; É um adversário um pouco duvidoso, não engoli a final do Baianão desse ano, jamais engolirei; a torcida, às vezes, é muito enjoada, o que me lembram aqueles que não posso repetir o nome.

Saldo final: continuarei torcendo para o futebol baiano nas competições nacionais… 😛

Mas tomei uma decisão. Daqui pra frente quando me perguntarem, vou responder: “Se feche, rapaz, eu sou boooooodeee!”. Se é pra ser regional, é pra ser regional mesmo 😉 . Ah! E agora que o Bahia vai ficar na Série B, eu perdôo ele pela final do Baianão… É ‘nóis’! hehehe

ecpp-bodinho-duas-estrelas

Você sabe que o #TeamGambiarra adora sugestões, então se tiver alguma dica de pauta é só enviar uma mensagem pra nosso e-mail (gambiarrarevista@gmail.com) ou redes sociais. Farei o possível para atender. Super abraço e até a próxima!