Review: Mariana Aydar reforça conexão com a Bahia em show no Pelourinho

Apresentação fez parte do projeto Conexões Sonoras e contou com participação do pernambucano Almério, que também fez o show de abertura

O som dos tambores já começam a ser substituídos pelo da zabumba, sanfona e triângulo no Pelourinho em Salvador, onde bandeirolas e pórticos enfeitados dão o tom junino do local. No largo Quincas Berro D’água a noite de sábado (15) foi tomada pelo forró, ritmo muito presente na carreira da cantora paulista Mariana Aydar.

Apresentação fez parte do projeto Conexões Sonoras e contou com participação do pernambucano Almério, que também fez o show de abertura. Aydar tem deixado claro, desde o início de sua carreira, a sua ligação com os ritmos nordestinos, mas fez questão de exaltar também a sua paixão pela Bahia, onde afirma sonhar em morar um dia.

Almério, Mariana Aydar e Isabela Moraes/ Foto: Rafael Flores

Este encantamento não fica preso às palavras ditas entre uma música e outra, é exposto também nas próprias escolhas de repertório e composições. “Forró do E.T”, música presente na primeira parte do EP Veia Nordestina (2019), foi composta por Mariana no sul da Bahia, em Caraíva, após avistar um objeto voador não identificado.

Também presente neste último lançamento da artista, “Se Pindura” (Duani) traz a Bahia da suingueira, bebendo direto na fonte de grandes hits da música baiana recente, como Attoxxa e Baiana System. Desta última, “Lucro” aparece em uma versão forró no setlist do show e transformou o arrasta-pé calmo em uma linda bagunça junina.

Foto: Rafael Flores

Embora mais visível que antes, esta conexão não é inédita. Em “Cavaleiro Selvagem aqui te sigo” (2013), Mariana teve a direção do maestro Letieres Leite e participações da Orkestra Rumpilez e Tiganá Santana. A artista também costuma mencionar a influência baiana no álbum “Pedaço de uma asa” (2015), por conta da presença marcante da percussão.

Ao longo do show, dedicado ao forró, houve espaço para músicas que já havia gravado, como “Preciso do seu Sorriso” (Enok Virgulino e João Silva) e “Onde está você” (Zezum). Versões de novos clássicos como “Triste, Louca ou Má” da banda argentino-brasileira Francisco El Hombre também estiveram presentes. Novas canções, assinadas tanto por Mariana quanto pela parceira Isabela Novaes, que também subiu ao palco, foram mostradas ao público: “Veia Nordestina” e “São João do Carneirinho”.

Conexões Sonoras

O Conexões Sonoras nasceu da vontade de conectar artistas, misturando sonoridades, sotaques e estilos, celebrando a diversidade cultural da música brasileira. O público tem a possibilidade de escolher as conexões que quer ver no palco e só na edição de 2019 proporcionou o encontro de Cordel do Fogo Encantado com Josyara, Radio Mundi com Nação Zumbi, Rael com Zuhri e por último, Mariana Aydar com Almério.