Mulheres são maioria no eleitorado em Conquista, mas ainda perdem nas candidaturas

Mulheres são maioria no eleitorado em Conquista, mas ainda perdem nas candidaturas

Dentre a totalidade de candidatos, o número de pleiteantes femininas perdem em 38% para os homens

Foto: Campanha “Igualdade na Política” do TSE

Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – com maioria feminina no eleitorado (54%), Vitória da Conquista possui apenas homens entre os candidatos a prefeito e três mulheres disputando o cargo de vice. Dentre a totalidade de candidatos, o número de pleiteantes femininas perdem em 38% para os homens.

Assim, mais de 60% dos postulantes às 21 vagas da Câmara dos Vereadores de Vitória da Conquista são homens. A cidade tem 230.598 eleitores aptos para votar e, no dia 2 de outubro, escolherá o novo prefeito entre oito candidatos e uma nova Câmara de Vereadores entre 386.

grafico

A Lei das Eleições (9.504/1997) assegura a reserva de 30% do número de candidaturas para as mulheres, em cada partido político ou coligação. No entanto, segunda a própria Justiça Eleitora, apenas a aplicação da lei não é suficiente para que haja incremento na quantidade de cadeiras ocupadas por mulheres. Para isso, precisaria, também, capacitar e criar programas de apoio, realizando campanhas de incentivo, a fim de despertar as condições para que elas participem dos processos decisórios do país.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) está veiculando desde o início do período  a campanha “Igualdade na Política” que visa estimular a participação da mulher na política. Essa propaganda institucional tem por objetivo incentivar a participação feminina na política, além de esclarecer os cidadãos sobre as regras e o funcionamento do sistema eleitoral brasileiro.

Nas eleições municipais deste ano, o percentual geral de mulheres que disputam os cargos eletivos no Brasil ultrapassou 30%. A primeira vez que isso aconteceu foi nas eleições municipais de 2012, quando partidos políticos e coligações atingiram o percentual de 32,57% de candidatas do sexo feminino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *