Montagens conquistenses vão circular no Festival de Teatro do Interior da Bahia

Três grupos de teatro conquistenses foram selecionados para participar da programação do evento, que acontece entre 14 de fevereiro e 19 de março nas cidades de Itabuna, Juazeiro e Camaçari

Foto: Guto Muniz (“Entre a Cruz, a Espada e a Estrada” no 6º Festival de Cenas Curtas Galpão Cine Horto)

Será realizada entre os dias 14 de fevereiro e 19 de março a segunda edição do Festival de Teatro do Interior da Bahia. 12 montagens foram selecionadas por uma comissão avaliadora, formada por grandes nomes da cena teatral e cultural do estado, para compor a programação do Festival, em temporada nas cidades de Itabuna, Juazeiro e Camaçari.

Dentre os espetáculos escolhidos estão “Raul, Lira e o Livro da Capa Azul”, da Cazazul Teatro Escola, “Entre a Cruz, a Espada e a Estrada”, do Grupo Caçuá de Teatro e “Pariré”, da Cia. Operakata de Teatro, todos de Vitória da Conquista. A região sudoeste também está representada pela peça “Trovinhas Na(f)talinas”, de Jequié.

Para o ator conquistense Marcelo Benigno, do Grupo Caçuá de Teatro, que completa 19 anos em 2017, a expectativa para a apresentação é grande. “Foram mais de cem escritos para 12 selecionados. Nós temos um carinho muito especial por esse trabalho, pois a gente fala da força da cultura popular e da resistência dos artistas da cultura popular, que é uma arte mais ligada à valorização das nossas matrizes culturais, além de falar também sobre o sonho em trabalhar com arte. O que a gente faz hoje em dia pra acreditar em nossos sonhos?”, questiona o ator. “Você vê um artista caatingueiro que mora em Conquista, que viveu na zona rural, indo pra São Paulo, Salvador, Rio, correndo atrás dessa capacitação”.

A circulação dos grupos conquistenses começa ainda em fevereiro, em Itabuna, palco de estreia do festival. “Pariré” e “Trovinhas Na(f)talinas” estão na programação. Já no encerramento, a cidade de Camaçari abrirá as cortinas para os espetáculos “Entre a Cruz, a Espada e a Estrada” e “Raul, Lira e o Incrível Livro da Capa Azul”.

Ao final da temporada, as peças também podem ficar entre as cinco indicadas ao Prêmio Braskem de Teatro, onde disputarão na categoria Espetáculo do Interior, que foi criada recentemente, no ano de 2015.

O projeto tem o patrocínio da Braskem através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, e realização da Polo Cultural e Ministério da Cultura – Governo Federal. A curadoria do projeto é do ator, diretor e artista visual Fernando Marinho. A comissão avaliadora, responsável pela seleção das peças, tem como membros a atriz Cristiane Mendonça, a atriz, diretora e produtora cultural Vadinha Moura e a atriz e produtora Alethea Novaes.