João Donato e Tulipa celebram música brasileira em show inédito na Bahia

Encontro aconteceu no quarto dia de festival Radioca, em Salvador

Por Rafael Flores /Fotos: Coletivo 314

Apresentações excelentes não estão faltando na line up desta edição do festival Radioca, que acontece desde a quarta-feira, 6, e se encerra neste domingo, 10, em Salvador. Dentre as dezenas de espetáculos, Tulipa Ruiz e João Donato marcaram pelo ineditismo do encontro geracional em terras baianas.

O show foi pensado inicialmente para o Festival Bananada, que aconteceu em agosto na cidade de Goiânia, e a partir dele um compacto com as músicas inéditas “Manjericão” e “Gravidade Zero” foi gestado e gravado pela dupla. A primeira abriu o setlist da apresentação no Radioca e a segunda ficou para o fim, já perto do bis.

João Donato e Tulipa Ruiz | Foto: Coletivo 314

No espaço entre as duas, um recorte histórico do que acostumou-se a chamar-se de MPB,  focando tanto no que Tulipa Ruiz propõe desde o seu primeiro disco (2010), tanto pelos clássicos em que João Donato já colocou seus dedos. O veterano esteve presente tanto na explosão da bossa nova ao lado João Gilberto, Vinícius de Moraes e Tom Jobim, como fez sua parte nas proposições do Tropicalismo.

O disco “Cantar” (1974), de Gal Costa (que é lembrada ainda em uma versão de “Avarandado”), em que João toca e assina algumas faixas,  foi evocado com “Flor de Maracujá” e “A Rã”. Nara Leão é outra gigante lembrada pela interpretação de “Até Quem Sabe”, que ganhou novos pesos na voz de Tulipa.

Tulipa Ruiz | Foto: Coletivo 314

O trabalho autoral de Tulipa também foi bem explorado, com a presença, por exemplo, de “Êfemera”, “Só sei dançar com você”, “Reclame” e “Víbora”. Esta última contou com uma iluminação diferente, destacando a cantora e sua performance e instigando a plateia a reagir a ela.

Não houve um momento sequer em que um dos dois tenham ficado sozinhos no palco, diferenciando do que normalmente se vê em apresentações do tipo. O show não foi João Donato com participação de Tulipa ou vice-versa, estava ali no palco um dupla bem conectada.

“É uma honra dividir este momento com João, que é um cara fresco e arejado. Ele está sempre presente no agora, seja este agora nos anos 60, 70 ou 2019”, definiu bem a cantora. Já João, em seus 85 anos falou apenas o que julgou necessário: “comprem o nosso disco” arrancando risos do público.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *