Haddad defende desconcentração da propriedade dos meios de comunicação

Candidato à presidência pelo Partido dos Trabalhadores esteve em Vitória da Conquista na manhã deste sábado (15)

A concentração da mídia brasileira na mão de poucas famílias e empresas é uma das principais críticas que o Partido dos Trabalhadores carrega. Em 2002, por exemplo, o plano de governo do presidente Lula (PT) apontava uma “democratização da comunicação”.

“Esse movimento de democratização cultural da sociedade brasileira só estará completo se for acompanhado da democratização dos meios de comunicação”, diz o plano.

Mais recentemente, na campanha eleitoral de 2014, Dilma Roussef (PT) também mencionava a necessidade de uma comunicação mais democrática. No entanto, em 14 anos do partido na Presidência da República, não houve iniciativa de fazê-lo.

O hoje candidato ao cargo e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad volta a bater no ponto, apontando a mesma direção. O termo “democratização dos meios de comunicação de massa” volta a aparecer no plano de governo aprovado pelo partido.

“Nossa tese é desconcentração da propriedade… aqui na Bahia vocês conhecem bem quem é dono de tudo, do jornal, da TV, da Rádio, não pode, tem que ter uma legislação moderna”, disse em visita à Vitória da Conquista na manhã deste sábado (15).