Festival Suíça Bahiana traz ritmo à cidade

Diamba, Mombojó, Achiles, Ana Barroso, Fred Sampaio e Supremo foram as atrações do primeiro dia de festival

Por Jullie Hevellyn / Foto: Joab Mercês

A quinta edição do Festival Suíça Baiana teve seu início na noite de ontem (24), marcando o retorno do festival, que não era realizado há dois anos. O lugar escolhido para a realização do evento foi o Villa Music.

O clima da noite foi de entrega. A cada nova atração, a cada novo ritmo, o público se deixava levar pelas melodias e vibes que vinham do palco. O som já familiar de Fred Sampaio e Supremo, a energia positiva representada na amizade mostrada entre Achiles e  Ana Barroso,  o reggae rítmico e envolvente de Diamba, a energia de Barro e a música envolvente de Mombojó… Todos esses artistas, todos esses ritmos, e a reação do púbico a cada um deles mostra que a cena alternativa está ainda muito viva na cidade.

O festival teve início com a entrada do conquistense Felipe Sampaio, que trouxe Supremo, do Complexo Ragga, como seu convidado. Suas músicas, já velhas conhecidas na independente da cidade, animam a plateia, que já começa a ensaiar os passos que mais tarde dominariam a pista.

Barro. Foto: Joab Mercês

Em seguida, quem subiu ao palco foi Barro, artista de Recife que já possui extensa carreira como músico e compositor na banda Dessiné, e agora se lança em seu projeto solo, Miocárdio. Com uma energia de palco contagiante, o cantor falou um pouco sobre essa nova aventura que é o projeto solo: “É sempre um recomeço, uma tentativa de apresentar suas músicas de uma maneira diferente, e de se descobrir também”, conta.

Diamba. Foto: Joab Mercês

A terceira banda a se apresentar foi a soteropolitana Diamba, já velha conhecida do público, com mais de 20 anos de carreira, tendo se apresentado diversas vezes pelo interior baiano e em várias cidades do país. O público se contagia fácil por seu reggae.

Achiles e Ana Barroso/ Foto: Rafael Flores

Achiles seguiu Diamba no palco, e trouxe Ana Barroso como sua convidada especial. Já muito conhecidos na cidade e bons amigos que são, sua energia é passada ao público, que dança, canta, se encanta.

Mombojó/ Foto: Joab Mercês

Pra encerrar as atrações do palco principal, quem subiu ao palco foi a banda Mombojó, que se apresentou em Vitória da Conquista pela primeira vez. O público já conhecia suas músicas, e a banda ainda se arriscou a trazer ao palco Barro, seu conterrâneo, num dueto improvisado que ganhou o coração do público.

Mombojó e Barro/ Foto: Rafael Flores

Felipe S, vocalista da banda, conta um pouco do ep lançado esse ano, mas que ainda não entrou para o repertório de shows da banda: “Esse EP é um trabalho que a gente fez com a Laetitia Sadier […]. Pela distância de continente, a gente acabou lançando esse disco sem conseguir fazer shows desse trabalho, então atualmente a gente tá fazendo um show que é um balanço da nossa carreira”, comenta.

 

A noite não acabou por ali. No after party Dancehallvibez o público mostrou que ainda tinha energia de sobra, e a dança não parou na pista.

O segundo dia do Festival Suíça Baiana acontece hoje (25) e trará ao palco Pedro Pondé, Dost, Selvagens à Procura da Lei, Dingo Bells e Luiza Audaz. O after party desta vez será a festa XCania.