Festival de Inverno Bahia: O resumão

Passadas as dores nas pernas, é hora de pontuar algumas coisas importantes sobre essa edição do Festival de Inverno Bahia

A melhor edição dos últimos cinco anos: depois de um dia de ócio na cama e dores na lombar, esta foi a nossa conclusão sobre o fim de semana do Festival de Inverno Bahia. Bons shows, bom som, boa estrutura (tanto para assistir quanto para trabalhar), mas claro que temos algumas coisinhas ainda para pontuar que não falamos durante a cobertura:

Estrutura

O festival estava visualmente mais bonito, graças às mudanças no layout. Apesar de ter batido o recorde de público, a arena estava mais espaçosa, com os momentos de aperto reservado apenas para os shows mais concorridos, como o de Annita por exemplo.

Foto: Fabrício Filmagens

“Com a mudança de posição do Palco Principal e dos camarotes, tudo ficou mais limpo e espaçoso. O Palco Principal, por exemplo, cresceu de 20 a 30% em relação a edições anteriores. Tudo isso nos dá a possibilidade de continuar expandindo o Festival”, explica o arquiteto responsável Giuseppe Mazzoni.

Foto: Laécio Lacerda

O profissional ainda destacou: “Foi um processo muito bem pensado, em que todos os detalhes foram observados, desde o nivelamento e a dimensão dos espaços até o alcance do som para não incomodar a vizinhança”. Estas mudanças também puderam ser percebidas nos espaços Arena Eletro Rock e Barracão do Forró, que não tinham o som vazado.

Arena Eletro Rock

Estrutura também foi mais bem pensada e sem a cara de improviso dos anos anteriores. Mas a curadoria pareceu ser um misto do que a TV Sudoeste queria com o que foi imposto pela Incontent – o que acabou saindo uma colcha de retalhos sem muito sentido.

Duas banda locais relataram dificuldade com a equalização da mesa de som. Segundo elas, o cachê não é suficiente para contratar um técnico próprio, o que acaba gerando uma dependência da produção do festival.

Além disso, a maioria desta programação chocou com as apresentações dos artistas nacionais. Isto não seria um problema se a Arena Eletro Rock fosse realmente tratado como parte da programação e não como uma “alternativa”.

As duas bandas autorais conquistenses presentes no line up fizeram bonito, ainda que a Ladrões de Vinil tenha tocado no início da noite de sexta-feira para um pequeno público. A Dost, por sua vez, foi o grande destaque, trazendo o estudante Felipe para estrear no palco.

Melhores Momentos

Ivete segurando a onda do gerador “dando pau”

Show de Anitta

  • Foto: Rafael Flores

Fora Temer de Caetano