Estudantes da zona rural participam da mostra Cineart Memória

Inspirados nos projetos Lentes Rurais e no Festival de Cinema de Bate-Pé, estudantes do povoado de Cabeceira participaram de oficinas e exibições de filmes produzidos por eles mesmos

Com informações da PMVC

Estudantes da Escola Municipal Francisco Antônio Vasconcelos, no povoado de Cabeceira, região de José Gonçalves, participaram nesta terça-feira (23) da segunda edição da mostra Cineart Memória, que reúne as diferentes linguagens artísticas em oficinas e exibições de filmes produzidos pelos próprios alunos.

Durante todo o ano letivo, o projeto trabalha na sala de aula a produção e a criação dos roteiros, além de preparar os alunos para se tornarem atores, diretores e até mesmo cinegrafistas, com aulas sobre fotografia e de análise fílmica.

Fernanda Oliveira, do 8º ano, foi uma das estudantes que virou atriz. Ela interpretou a jovem namorada que é o motivo da tragédia do filme “Juventude Perdida”, filmado na Praça da Juventude. “Muita gente ajudou e planejou o filme com a gente, com maquiagem, figurino e contribuindo com o roteiro. Com esse projeto, tem quem se identifica com o teatro, com as artes e já é um início”, afirma a jovem, que planeja se tornar uma advogada.

A professora de Artes, Maria Dolores Ribeiro, acredita que um projeto como esse contribui para a formação crítica de cada aluno. “Os alunos conseguem interagir melhor, adotam outra postura diante dos filmes e até em outras situações dentro da escola, a gente percebe as mudanças, inclusive no olhar para as coisas da própria vida”.

Inspirado nos projetos Lentes Rurais e no Festival de Cinema de Bate-Pé, o projeto começou em 2014 em Cabeceira. “Incentivamos os alunos a escrever roteiros, começamos com a produção de um jornal e dele veio a ideia do cinema. A gente viu que eles gostavam e queriam cada um fazer seu filme, cada um construindo seu texto. Percebemos um avanço na questão da leitura e da escrita, principalmente”, avalia o professor de português, Valdomiro Marques. Nesta edição, cinco filmes foram finalizados para a exibição durante a mostra.

“Essa é uma oportunidade de fazer arte com aquilo que você já convive. É um desafio que a comunidade apoia diretamente, a gente vê o resultado em cada ação. É muito gratificante ver os olhinhos dos alunos brilhando quando veem o resultado, como quem não tá acreditando que eles fazem parte de um projeto como esse”, afirma a diretora da escola, Marli Jardim.

A Escola Municipal Francisco Antônio Vasconcelos tem mais de 500 estudantes, com idade entre 11 e 17 anos. Durante todo a quarta-feira (24), eles participaram de oficinas de teatro, música, dança, artesanato e pintura, além de assistir aos filmes da mostra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *