Espaço colaborativo Manifesto abre portas em Vitória da Conquista

Poesias, música, fotografia, audiovisual, artes plásticas e tatuagens são algumas das linguagens artísticas contempladas pelo espaço

“Conquista precisava de um espaço assim”: foi a frase que mais ouvi no último sábado (02) em meio à poesias, música, fotografias, projeções, quadros e tatuagens. O seu nome, “Manifesto – Espaço Colaborativo” já diz muito sobre a ideia e as possibilidades do empreendimento.

Ao entrar já me deparei com alguma pessoas sentadas no chão observando Felippo Rocha e Paulinho Monteiro tocarem algumas canções em um palco de pallets em frente a uma parede ilustrada por Patrick Teixeira e Nina Ramos.

Na sala que liga a entrada a um corredor, o balcão que vende as fichas para consumos diversos também recebe o lançamento da 13ª edição da revista “As Flores do Mal”. Conversamos ali mesmo com o editor Pablo Ambros, que conta que a publicação surge do Círculo Literário Análitico Experimental (Clae), movimento estudantil que tornou-se editora.

No corredor seguinte duas exposições de fotografia, coisa quase incomum por aqui – imagens de movimentos sociais nas ruas e do cotidiano das cidade, assinadas por Fernanda Meira e Joab Mercês. Pouco mais ao fundo em uma luz negra descansavam os desenhos de Rafael Nery e Fred Dias.

As portas deste mesmo corredor guardavam três tatuadoras em plena atividade, riscando pessoas ao vivo. Gabrisa, Malfeitona e Andrezza Cabral fizeram um “flash tattoo”, aquele evento onde tiram um dia pra tatuar desenhos específicos, mais simples, exclusivos e mais em conta.

No fundo da casa, alguns tomavam cerveja e fumavam cigarros, enquanto outros, quase que naturalmente, cantavam reggaes antigos em um violão aleatório. Esse clima durou do início da tarde à meia noite e contou ainda com discotecagem de Rodrigo Freire e Miguel Nery (Bag-ô).

O projeto surge da união de duas cabeças ávidas por trabalho:  João Levy e Iago Morais. “O Manifesto tem a proposta de provocar a sociedade à produção artística, seja na música, no teatro, artes plásticas e cinema, a gente acredita e sabe que a arte acalma a alma e expande a consciência”, afirmam.

A primeira ideia foi abrir um estúdio de tatuagem acoplado a uma loja de roupas (ou vice-versa), mas segundo eles “as coisas tomaram um rumo diferente”.”Não queremos ser mais uma casa de eventos, queremos construir em coletivo um espaço onde a interação aconteça desde crianças a idosos e que o que impulsione isso seja a arte e a liberdade de expressão”, concluem.

O Manifesto – Espaço Colaborativo fica localizado na Rua Leonídio Oliveira, número 450, bairro Recreio em Vitória da Conquista.