Eleição da Uesb teve aumento de 7,9% na participação

Chapa Renova Uesb venceu com com 62,4% do escore de votos

Com informações da Adusb

A chapa Renova Uesb venceu a eleição para reitoria da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) com 62,4% do escore de votos nessa quinta-feira (12). Os professores Luiz Otávio de Magalhães (reitor) e Marcos Henrique Fernandes (vice-reitor) serão os gestores da universidade no quadriênio 2018 – 2022.

O processo de apuração ocorreu da noite do dia 11 de abril até as primeiras horas do dia seguinte. Os candidatos vencedores totalizaram 3.108 votos, seguidos das candidatas Márcia Lemos e Nelma Gusmão com 1.197 votos e de Daniel Silva e Cristina dos Santos que receberam 595 votos. Com 4.961 votantes, o processo eleitoral teve, em números absolutos, um aumento de participação de 7,4% em relação à eleição passada, segundo a Associação de Docentes da Uesb (Adusb).

“É muito importante garantir e respeitar o direito da comunidade universitária de escolher de forma direta, democrática e sem interferências externas, o(a) reitor(a) e vice-reitor(a) da Universidade. A participação de toda a comunidade universitária no processo fortalece a democracia interna. Precisamos também estar vigilantes, para que a decisão da comunidade seja respeitada. Legalidade não é sinônimo de legitimidade, nem de democracia. Decisões autoritárias, monocráticas, internas ou externas, não combinam com democracia”, declarou a associação.

A reunião do Conselho Superior Universitário (Consu) para homologação do resultado está prevista para o dia 25 de abril. O presidente da Adusb, Sérgio Barroso, no dia 5 de abril, apresentou às chapas concorrentes um termo que afirma o compromisso dos candidatos e das candidatas em não aceitarem a nomeação do governador, caso não sejam vencedores e vencedoras do pleito, conforme as regras estabelecidas no regimento eleitoral.

Durante a visita que fez a Vitória da Conquista na última sexta-feira (6) o governador Rui Costa afirmou ao Blog do Giorlando Lima que vai seguir a lei que lhe dá a prerrogativa de escolher entre os três mais votados. “Não vou, automaticamente, nomear o candidato que ficar em primeiro lugar. Se a lei me dá a prerrogativa de escolher qualquer um dos três, vou fazer uso da lei”.