Brasil sediará 1º Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

O evento pretende reunir cerca de 2,2 mil participantes de 24 etnias brasileiras e mais de 20 delegações internacionais

Foto: Fábio Pozzebom
Na última terça-feira (23), a presidenta Dilma Rousseff lançou oficialmente a 1ª edição dos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. A competição será realizada de 23 de outubro a 1º de novembro, em Palmas (TO), e terá como tema “Em 2015, somos todos indígenas”.
O evento pretende reunir cerca de 2,2 mil participantes de 24 etnias brasileiras e mais de 20 delegações internacionais, de países como Austrália, Canadá, China, Filipinas, Japão, Noruega e Rússia. O Brasil já conta com a experiência de outras 12 edições nacionais (de 1996 a 2013) desses jogos.
A cerimônia de lançamento dos Jogos contou a presença da secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC) do Ministério da Cultura, Ivana Bentes, que representou o ministro da Cultura, Juca Ferreira. Para ela, os Jogos Indígenas, articulados pelos próprios indígenas, apresentam uma alternativa à ideia dos Jogos Olímpicos, tais quais como eles existem hoje, dentro até de um conceito diferente de competição, de rivalidade e mais ligado à celebração. Bentes aponta que a iniciativa revela a importância da atuação dessas etnias, não como passado do Brasil, mas como futuro. “Você recoloca os indígenas no Brasil no debate contemporâneo, dentro do esporte, na cultura”, sintetizou.
De acordo com o líder indígena brasileiro e articulador internacional dos Jogos, Marcos Terena, os representantes dos países que compõem os Jogos estão em Brasília para participar de um Congresso Técnico, nos dias 24 e 25 de junho, no qual serão definidas as normas para realização dos jogos. Segundo Terena, entre as principais modalidades disputadas, estão arco e flecha, arremesso de lança, cabo de força, canoagem, corrida com tora, corrida de resistência, corrida de velocidade, futebol, lutas corporais e natação. E, em paralelo aos jogos, haverá uma programação cultural e demonstrações de jogos tracionais específicos de cada etnia.
O campeonato é uma iniciativa do Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena (ITC), em parceria com o Ministério do Esporte e com a Prefeitura Municipal de Palmas (TO).