Balaio mostra fertilidade do seu trabalho com “Terra de Barro”

É a primeira gravação de estúdio do seu projeto solo

Apenas o violão nas mãos, uma voz rasgada e potente na garganta e uma mente afiada para letras fazem o Balaio. Não estamos falando de um cesto de palha, e sim do cantor e compositor que lançou esta semana o single “Terra de Barro” nas plataformas digitais Youtube e Soundcloud. 

Segundo o artista, a música é “um grito, um desabafo” como o de alguém que quer se libertar de algumas amarrar. “É tirar onda com a cara das pessoas que impedem as nossas potencialidades na vida, é uma canção sobre o querer e não poder”, conta.

Inicialmente “Terra de Barro” parece uma ode ao sertão, o que também pode ser, mas além disso guarda um pouco de metáforas e mensagens sobre nossa juventude. “Na verdade todo mundo é terra de barro, todo mundo é fértil, mas tem gente que impede e insiste em se secar”, explica Balaio.

“A música é mais ou menos isso, ‘me deixa’, deixa a gente ser. As essoas falam que a nossa juventude é morta, mas tá morta ‘porra nenhuma’, ela tá explodindo pelos cantos, são tantas maneiras de ser que estão surgindo, que quem é mais velho se choca e ainda falam que a juventude é morta.A juventude é uma terra de barro que já está dando fruto e a música é esse grito, eu falo de mim nessa música, mas muita gente pode se identificar com esses processos.”

É a primeira gravação de estúdio do seu projeto solo, mas Balaio já conta com um EP ao vivo gravado no Teatro Carlos Jehovah, do qual saíram hits locais como a música “Olho da Cobra”.

Junto ao fotógrafo e artista visual Joab Mercês, o artista esteve na cidade Anagé para a gravação do clipe de “Terra de Barro”, que será lançado em breve