Àttøøxxá desembarca em Conquista depois do sucesso de “Popa da Bunda”

O projeto Àttøøxxá vem a Conquista pela primeira vez como grupo e depois do estrondoso sucesso de “Popa da Bunda”, música do carnaval de 2018

No dia 21 de abril, Vitória da Conquista receberá o Àttøøxxá pela primeira vez após o estrondoso sucesso de “Popa da Bunda”, música do carnaval de 2018. O projeto dividirá mais uma vez o palco com o Complexo Ragga no “Baile da Popa da Bunda” , que conta ainda com o cantor Fred Sampaio.

Será também a primeira vez que o Àttøøxxá vem como banda, já que das vezes que esteve por aqui tinha só o DJ Rafa Dias à frente. A festa acontece na boate VIP, localizada na Avenida Olívia Flores e os ingressos já podem ser adquiridos no Sympla no valor promocional de R$30,00.

O Projeto

Misturando arrocha e pagode baiano com música eletrônica, antes mesmo deste carnaval, o Àttøøxxá já vinha dominando as pistas de Salvador, do interior baiano e até mesmo de outras cidades nordestinas. O projeto, definido como “a personificação de buquê de coquetel molotov”, surge em uma fase fértil para o gênero Bass Music na Bahia, com nomes de destaque como Lord Breu, Loro Voodoo e Mauro Telefunksoul.

Os elementos da música baiana são, inclusive, peças chaves nas produções do gênero no estado, através de samples e loops orgânicos, na criação, re-criação e reprodução sintética através de softwares, sintetizadores e baterias eletrônicas, ou com vocais (sampleados ou cantados) e trechos de músicas características da Bahia, como parte mais expressiva da produção.

Leia também:

RAFA DIAS (ÀTTØØXXÁ): “A MÚSICA ELETRÔNICA HOJE É O QUE LIGA O MUNDO”

“NESSE CARNAVAL, EU QUERO MOSTRAR ATTOXXA PRO MUNDO INTEIRO”, DIZ MÁRCIO VITOR DO PSIRICO

Rafa Dias, músico por trás do ÀTTØØXXÁ, utiliza letras de autoria própria nas composições do projeto, que exploram, principalmente, o arrocha. As referências, segundo ele, vem de sons como do Skrillex, Major Laser, DJs do Pará até de sua ligação forte com os sons baianos, desde a sua infância, em Paulo Afonso. “A música eletrônica hoje é o que liga o mundo”, acredita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *