Assembleia discute ocupação da Uesb por estudantes

Além da ocupação, serão discutidas a paralisação nos dias 25 e 26 de outubro e a Greve Geral, anunciadas pelos docentes da universidade

Será realizada amanhã (21), na quadra dos centros acadêmicos da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb), uma assembleia que tem como um dos principais pontos de pauta a ocupação da instituição por estudantes. A reunião convocada pelo Diretório Central de Estudantes (DCE) e Centros Acadêmicos tem previsão de início às 10h.

Além da ocupação, serão discutidas a paralisação nos dias 25 e 26 de outubro e a Greve Geral, anunciadas pelos docentes da universidade, e o posicionamento dos estudantes sobre a PEC 241, apelidada de “PEC da Maldade”, que visa limitar gastos públicos nos próximos 20 anos.

A greve geral dos docentes da instituição está prevista para a primeira quinzena de novembro, conforme divulgado pela Adusb, seguindo indicativo nacional. O sindicato declarou ainda que “é urgente que toda a população se organize e ocupe as ruas para barrar os ataques aos direitos políticos, trabalhistas e sociais”.

A data de 25 de outubro será marcada pelo Dia Nacional de Luta dos Servidores Públicos e da Educação, que tem o objetivo de realizar um chamado das centrais sindicais, movimentos sociais e movimento estudantil para construção da greve geral, devido o contexto político e econômico do país. Já no dia 26, Dia de Luta em Defesa das Universidades Estaduais da Bahia e dos Direitos Trabalhistas, a paralisação visa pressionar o Governo Rui Costa (PT) a atender as demandas da comunidade universitária. Movimentos docentes das quatro Universidades Estaduais realizarão ato público na Secretária de Educação (SEC) e na Assembleia Legislativa, em Salvador.

Ocupações em Conquista

Na noite da última terça-feira (18), estudantes do nível médio e superior do IFBA, campus de Vitória da Conquista, decidiram, por meio de assembleia, decretar ocupação. O movimento segue as quase 800 ocupações que acontecem por todo país, e que tem como objetivo pressionar o governo contra a Medida Provisória da Reformulação do Ensino Médio, contra a PEC 241 e a PL 193, da Escola Sem Partido.

Em agosto, alunos do Centro de Educação Profissionalizante em Saúde Adélia Teixeira (CEEPS), também ocuparam o prédio da escola por 22 dias. As exigências foram desde questões estruturais, até ampliação da equipe de professores e aumento da verba da merenda escolar.

2 comments

  • O Movimento Estudantil de um modo geral deve aproveitar essa conjuntura política atual e se mobilizar mesmo, de fato, ocupando as Universidades e Escolas afim de conseguir maior visibilidade para as mais variadas demandas que cada espaço requer.
    #TemerGolpista
    #OcupaçãoUESB

  • Bando de sem o que fazer. Por isso que o Brasil não avança, ao invés de estudar como muitos que estão fazendo isso em casa neste momento , querem gabarriar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *