Achiles é o melhor intérprete em shows da Bahia, segundo Prêmio Caymmi

Achiles ganha prêmio de Melhor Intérprete Masculino pelo show “Divino e Ateu” no Prêmio Caymmi de Música 2017

Foi realizada na noite desta segunda-feira (18), no Teatro Castro Alves, em Salvador, a segunda edição do Prêmio Caymmi de Música. Mais de 100 artistas, produtores e trabalhos concorreram em 22 categorias. Esta edição homenageou ainda o movimento Tropicália e teve como slogan a frase “Não somos um movimento de música, somos a música em movimento”.

Achiles ganhou o prêmio de Melhor Intérprete Masculino na categoria Show, pela apresentação “Divino e Ateu”, seu primeiro trabalho solo, depois do projeto CAIM – Ciência, Arte, Ideologia e Música. Natural de Maracás (BA), o cantor e compositor também havia sido indicado na categoria Música com Letra: Intérprete Masculino, com o single “Mar de Refrigerante”, que acabou indo pro baiano Giovani Cidreira.

“É muito importante pra mim ser do interior da Bahia receber um prêmio como esse e evidenciar que a música baiana vai além da capital do estado. Eu como representante do interior, estou aqui hoje fazendo valer os meus amigos que estão lá e que também precisam ser vistos por vocês. Então, eu ofereço esse prêmio ao interior da Bahia e aos meus pais que estão aqui presente. Salve Maracás e Vitória da Conquista!”, disse ao receber o troféu.

Achiles participou ainda do “Bandão Caymmi”, ao lado de nomes da música baiana contemporânea como Saulo, Aiace Félix, Filipe Lorenzo, Flavia Wenceslau, Kalu, Lívia Nery e as bandas Pirombeira e Tabuleiro Musiquim. Revezando-se no palco, eles fizeram um show que teve como base o disco icônico Tropicália ou Panis et Circenses, lançado no auge do movimento, em 1968.

SHOW

– Melhor Show –
Duo BAVI
Filipe Lorenzo
Pirombeira
Sertanília
Skanibais

– Intérprete masculino –
Achiles
Silvio de Carvalho (Tabuleiro Musiquim)
Kalu (Kalu / Forró da Gota)
Teago Oliveira (Maglore)
Filipe Lorenzo

– Intérprete feminino –
Aiace
Flávia Wenceslau
Livia Nery
Luedji Luna
Renata Bastos

– Instrumentista –
Alan Vilas Boas – bateria (Gazumba, Suinga, Tabuleiro Musiquim e Tutano)
Aline Falcão – teclado e sanfona (Danilo Fonseca e Pirombeira)
Flaviano Gallo – bateria (Santini & Trio)
Jr Maceió – sax (Jr Maceió)
Livia Nery – live eletronics (Lívia Nery)

– Direção Artística –
Alexandre Lins (Skanibais)
Jackson Costa (Celo Costa)
Larissa Luz (Larissa Luz)
Marivaldo dos Santos e Fernanda Mello (Quabales)
Talis Castro e Daniel Farias (Filipe Lorenzo)

– Direção Musical –
Bira Marques (Nara Couto)
Anderson Cunha (Sertanília)
Grupo Pirombeira (Pirombeira)
Átila Santana, Fabrício Mota e Jorge Dubman (IFÁ)
Paulo Mutti (Filipe Lorenzo)

– Destaque Técnico –
Caji – Sonorização (Thiago Trad)
Fred Alvin – Iluminação (Caian, Caru, Coletivo Aldeia Cênico, Danilo Fonseca, Filipe Lorenzo, Pietro Leal e Três Um Só)
João Pucci – VJ (Laia Gaiatta)
Maurício Pedrosa – Cenografia (Aldeia Coletivo Cênico)
Zuarte Jr – Cenografia (Celo Costa)

– Produção –
Humberto Vale “Curujito” (Skanibais)
Diana Pinto, Mariana Damásio, Marina Fonseca e Marry Rodrigues (Aldeia Coletivo Cênico)
Multi Planejamento (Pirombeira)
Vinícius Calmon (Caian)
Edmilia Barros (Filipe Lorenzo)

– Revelação –
Africania
Caian
Duo BAVI
Lívia Nery
Luedji Luna

– Banda –
Santini & Trio
Tabuleiro Musiquim
IFÁ
Pirombeira
Skanibais

– MELHOR MÚSICA (COM LETRA) –
“Branco” (Ubiratan Marques) Orquestra Afrosinfônica
“Forte, Valente Coração” (Luã Almeida Pereira, Diego Cardoso Azevedo, Jackson
Almeida Pereira e Vinícius Cerqueira Mendes) Baiano Mundo
“Instante Pra Se Lembrar” (Ian Cardoso) Pirombeira
“Ode à Ilusão” (Carlos Henrique Araujo Silva) Carlos Henrique Araújo Silva
“Vulcanidades” (Lívia Nery) Lívia Nery

– MELHOR MÚSICA INSTRUMENTAL –
“Amálgama” (Luã de Almeida Pereira) Luã Almeida
“Bons Ventos” (Jana Vasconcellos) Jana Vasconcellos
“Cadê o Bongô?” (Gabriel Arruti) Pirombeira
“Giro do Sol” (Raoní Maciel) Raoní Maciel
“Trezena” (Alex Mesquita) Alex Mesquita

– Intérprete vocal masculino –
Achiles “Mar de Refrigerante”
Artur Carneiro (Kromosons Brazil) “Maya”
Diego Oliveira (Benjamin Existe) “Spark”
Giovani Cidreira “Um Capoeira”
Kalu “No Afeto”

– Intérprete vocal feminino –
Flavia Wenceslau “Por Uma Folha”
Karol Guaitolini “Hoje”
Larissa Luz “Meu Sexo”
Lívia Nery “Vulcanidades”
Suzana Bello “Força da Geração”

– Intérprete instrumental –
Ivan Sacerdote – Clarineta “Guararapes” (Daniel Neto)
Jana Vasconcellos – Violão “Bons Ventos” (Jana Vasconcelos)
Luis Fernando “Louis” Melo – Bateria “Incerto Adeus” (Drearylands)
Páris Menescal – Guitarra solo “Incerto Adeus” (Drearylands)
Raoní Maciel – Violão “Cadê João?” e “Giro do Sol” (Raoní Maciel)

– Arranjo –
Ubiratan Marques “Branco” (Orquestra Afrosinfônica)
Raoní Maciel “Cadê João?” (Raoní Maciel)
Aiace e Paulo Mutti “De Qualquer Maneira” (Aiace)
Grupo Pirombeira “Instante Pra se Lembrar” (Grupo Pirombeira)
André Magalhães “Maya” (Kromosons Brazil)

– Produção Musical –
André Luis Magalhães Costa Pinto “Maya” (Kromosons Brazil)
Luã Almeida “Forte, Valente Coração” (Banda Baiano Mundo)
Larissa Luz, Pedro Tie, Jr Tostoi e Pedro Itan “Meu Sexo” (Larissa Luz)
Vicente Fonseca “Amor de Pavarotti” (Gepetto)
Rafa Dias e Lívia Nery “Vulcanidades” (Lívia Nery)

– MELHOR VIDEOCLIPE –
“Bonecas Pretas” – Larissa Luz
“Canto Africano” – Raquel Monteiro
“Kamikase” – Dario Nunes Moreira
“Modo Hard” – Circo de Marvin
“Um Corpo no Mundo” – Luedji Luna

– Direção –
Egon Costa “Antes do Fim” (Semivelhos)
Glauco Neves e Bruno Souri “Modo Hard” (Circo de Marvin)
Glauco Neves e Rodrigo Hohlenwerger “Bonecas Pretas (Larissa Luz)
Joyce Prado “Um corpo no mundo” (Luedji Luna)
Luan Andrade “Kamikase” (Dario Nunes Moreira)

– Fotografia –
Carlos Faria “Ela Diz” (Gepetto)
Egon Costa “Antes do Fim” (Semivelhos)
Elísio Lopes Jr “Linda e Preta” (Nara Couto)
Luan Andrade “Kamikase” (Dario Nunes Moreira)
Pablo Moreno Pires “Canto Africano” (Raquel Monteiro)

– Produção –
Adriano Ribeiro “Modo Hard” (Circo de Marvin)
Bori Filmes/ Igo Pereira “Prisma” (Vivendo do Ócio)
Iago Sarmento/ Alexandre Pires “Kamikase” (Dário Nunes Moreira)
Nzinga Produções “Bonecas Pretas” (Larissa Luz)
Semivelhos “Antes do Fim” (Semivelhos)

– Roteiro –
Bruno Souri “Modo Hard” (Circo de Marvin)
Luan Ragedo “Kamikase” (Dario Nunes Moreira)
Fabrício Barreto e Fábio Shiva “Abdução de Endubsar” (Mensageiros do Vento)
Márcio Gurgel “Grande Gandhy” (Dó Ré Mi Lá)
Max Gaggino “O Racismo Mata” (Os Agentes)