7 de setembro: desfile em Conquista teve performance-protesto

Em defesa da Amazônia, grupo de teatro ApoDío entrou na avenida após desfile oficial

Na última quinta-feira (07), dia da Independência da República, o grupo de teatro ApoDío desfilou em defesa da floresta amazônica. Melados de carvão e urucum e vestidos com roupas íntimas, os performers entraram na avenida logo após cerimônia oficial.

Marcando o que costumamos nomear de “Grito dos Excluídos” (momento extra-oficial do desfile, quando movimentos sociais colocam sua pauta), o grupo quis expressar indignação pelo desmatamento e pelo decreto do presidente Temer, que fragiliza a preservação da floresta e das comunidades tradicionais.

“Estávamos amordaçados, destilamos todo o nosso veneno e amor apenas de roupas íntimas e sujos de carvão e urucum, como se fôssemos restos de árvores queimadas!”, explica Weider Saraiva, integrante do grupo.

A ideia era queimar uma árvore de papelão na frente do prefeito Herzem Gusmão, mas segundo Saraiva, o palanque da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista se esvaziou antes da passagem da performance.

“Agradecemos o público que se questionou, interagiu, nos defendeu, dialogou conosco e de alguma forma, fortaleceu o ‘rolê'”, conclui Weider.